Month: February 2018

I volunteer

I volunteer

I volunteer Só porque adoro adoro adoro desafios, auto proponho-me a realizar este com 6 regras durante 6 dias. Sendo assim:   Não julgar nada do que me apetecer fazer, nada, nada. Não julgar o que os outros dizem por mais absurdo que seja. Pode […]

Silêncio

Silêncio

Acredito que os maiores mistérios da vida se podem resolver depois de um encontro a sós com a nossa almofada, num duche bem quente ou simplesmente na comtemplação do silêncio. Nenhuma das três opções tem elaboração oral, gosto de pensar que pelo sentido lógico fomos, […]

Eles e nós.

Eles e nós.

Existe uma característica tipicamente masculina que me põe doente de inveja boa.

Eles não conseguem fazer duas coisas ao mesmo tempo. Parece mau, mas é espetacular. Está na moda falar em Mindfullness, uma capacidade de viver o momento focando apenas o presente, que no fundo é como dizer Carpe diem comteporanêo. No fundo, é a capacidade de viver a vida com mais presença de espírito.

Existe alguma dificuldade da nossa parte em fazer isto, existe uma vontade imensa de todas nós, mulheres, sermos assim: livres, soltas, selvagens, focadas num só propósito, mas há sempre, sempre alguma coisa dentro de nós que se mantém em alerta, quiçá um precoce instinto maternal? É muito difícil deixar fluir, para as mulheres é fulcral que tudo esteja a bater certo, no tempo certo e de acordo com aquilo que planeámos, por isso este pensamento obcessivo-compulsivo com a realidade que nos rodeia  – Então quando se junta um grupo de mais de três, esqueçam. Elas são pensamentos, elas são dúvidas, elas são angústias. Cruzam-se ideias e debatem-se angústias tudo em simultâneo e ainda assim entre uma coisa e outra, há sempre alguma que ainda consegue estar com a cabeça em Marte.

Já para eles, o mundo pode estar a ter um terramoto de 8,7 à escala de Ritcher, o que interessa são os amigos e a cerveja.

Escusam de ir fazer cursos de Mindfullness, perguntem-lhes como é que se faz.

Yes, you can put your finger on who you are.

Yes, you can put your finger on who you are.

Uma mulher força-coração. Sim, a Beyoncé. “But I’m no longer afraid of conflict, and I don’t think conflict is a bad thing. Because I know that when you grow up, when you learn a few things, you’re no longer afraid of letting go. You’re no […]

Respeitar

Respeitar

Acredito muito pouco no conceito Levo-me-tão-a-sério. Para mim, levar me a sério é não levar tudo tão a sério e saber o que ouvir o que eu quero com o coração todo. Pode ser imaturidade ou não, até pode ser, ainda não sei. Num mundo […]

More this way.

More this way.

Ainda não descobri se ser livre é igual a ser desapegado, ainda estou a tentar a descobrir. De qualquer das maneiras, sempre acreditei que ser livre não é compatível com ter amarras sejam elas físicas ou não.

Nunca tive o sonho de poder comprar uma casa nem nunca me passou pela cabeça comprar um carro a pronto. Acredito que a vida é volátil de mais para assumir compromissos com tanta seriedade, sempre mudei de opinião rápido, o que eu gosto de fazer hoje posso não gostar amanhã, por isso, sempre achei que seria melhor não arriscar em investimentos a longo prazo.

Sempre tive medo que a liberdade me fugisse, e a verdade é que quanto mais coisas temos menos espaço existe para sermos verdadeiramente livres. O ter coisas torna-nos rigídos, menos receptivos à mudança e naturalmente menos verdadeiros porque estamos acomodados.

Não sei se é assim ou não, ainda estou a descobrir. Secalhar um dia compro uma casa com um jardim cheio de flores e sou feliz para sempre, mas até lá vou continuar a querer não ter nada para poder ter a liberdade de poder chamar de casa as pessoas que vou conhecendo e aos lugares bonitos da vida.  

Liberdade

Liberdade

“The concept of freedom is an absolute. After all, one cannot be moderately dead or moderately loved or moderately free. It must always remain a matter of either or” – The Duchess Deixem-me ser livre para andar ao meu ritmo, deixem-me ser livre para beber os […]

Only the Ocean and You.

Only the Ocean and You.

When this work is done and this coat is dry
When this world is too much, it will be
Only the ocean and me.

Conectar

Conectar

  Conectar parece uma palavra pomposa e digna de ser pronunciada apenas para quem medita de pernas cruzadas, mas não. Gosto de acordar e sentir que tenho tempo para ter tempo, de fazer o meu pequeno almoço de mim para mim com muito amor, de […]