O anseio que era leve

O anseio que era leve

E este anseio, que vem do fundo de mim, pelo que é bom para o coração mas que me destrutura a alma.

Este anseio que faz cada atómo meu estremecer e que me acorda, que me lava o rosto com água fria e que me desperta para o que importa. Este galope emocional que me faz querer deixar para trás o que já não me pertence e abraçar tudo o que é calma.

Tenho vindo a acreditar que esta destruturação é palco para construir tudo outra vez, e eu quero construir uma casa, a minha casa. Mais forte, mais bonita e onde caberão mais pratos na mesa.